sexta-feira, 28 de março de 2014

Orgulho sustentabilista: o bem estar social vale mais!

Uma sociedade é mais que direita e esquerda.
Se me perguntarem: "qual é sua ideologia política?", eu certamente direi: Sou sustentabilista! Ser sustentabilista significa dizer que sou favorável a aplicação de práticas sustentáveis, em todos os aspectos, numa sociedade. Ou seja, eu defendo um governo planejado, idealizado e ativo em que o conceito de sustentabilidade seja primário para qualquer medida.
Até algum tempo atrás (e, aliás, até hoje), nossa política dividia-se em dois grandes grupos: os capitalistas, neoliberalistas e afins, e os socialistas, comunistas e afins. O problema de se pautar unicamente sobre duas definições é: uma sociedade não é bipolar, e sim, multipolar. Temos vários grupos, várias ideologias e vários conceitos dentro, principalmente, da sociedade moderna, logo, esta não será bem divida se pegarmos uma parte ao extremo: ou o socialismo extremista, ou o capitalismo exacerbado. 
O que isso significa? Não se constitui uma sociedade justa e feliz só com o capitalismo ou só com o socialismo, no sentido comum da palavra. As pessoas pensam diferentes, tem objetivos e sonhos diferentes, e esta individualidade deve ser respeitada. Nós falamos aqui de sociedade humana, e não de sociedade de máquinas, em que um só comanda a todos como bem entende. Aliás, o grande problema da política moderna foi (e continua sendo) este: tenta-se muito destruir algo e elevar outro. Tenta-se privilegiar um e combater o outro. Não se chega num consenso, e assim, o número de revoltosos sempre será grande. Elevar uma parte e desfavorecer outra é a semente da desigualdade em uma sociedade. Num regime destes, sempre um grupo tenderá a estar fortemente revoltado. 
Como forma de gerir uma sociedade tradicionalmente multipolar e diversa, preocupando-se com o bem estar geral, surge o conceito de sustentabilidade, no qual devemos olhar para o hoje sem esquecermos que existe amanhã. Temos que trabalhar problemas olhando as partes, e não os resultados. Sim, ficar em cima do muro; pois é de lá que podemos ter a melhor visão para analisar as nuanças de um povo, os anseios de uma sociedade em todas as suas partes, gerando assim justiça e bem estar social.
Privilegiar fanaticamente um dos regimes - capitalista ou socialista - é, no mínimo, um motivo para se gerar falta de bem estar social, descontentamento e fracasso político. Aliás, é justamente quando o governo não consegue gerar bem estar social, causando descontentamento e revolta popular, que surgem, além de revoltas, a implantação de ditaduras, ou, no mínimo, regimes rígidos. Fazer política não é isso! Fazer política é saber falar e ouvir a todos; é superar barreiras conceituais e oportunizar a geração de um ambiente onde prevaleça o diálogo e a satisfação mútua. 

Tudo vale a pena quando a alma não é pequena: sou sustentabilista!
Adaptado da frase de Fernando Pessoa

Romes Sousa

Nenhum comentário: