quinta-feira, 21 de março de 2013

Pense de novo - Reforma Educacional: Afinal, o que queremos reformar?

Muitos são os que, nos últimos tempos debatem sobre as reformas educacionais no Brasil. Vemos, no entanto, que problemas corriqueiros de nossa sociedade, como violência, preconceito e intolerância, não são resultados apenas do que sai das salas de aula. A visão popular esbarra na existência de um desfalque educacional familiar acentuado.
O desfalque educacional familiar é um problema que se alastra por anos. Os pais, no passado, receberam informações de baixa qualidade, tanto da família, como da escola. O que fazem apenas é repassar o que aprenderam.
O problema educacional brasileiro é um ciclo vicioso gigantesco, cujas raízes estão cravadas no passado. Por isso, a vontade de reformar a educação no Brasil deve, antes de tudo estar baseada na reforma da socialização primária das crianças, ou seja, eduquemos as famílias para depois educarmos os nossos pequeninos. 


Romes Sousa 
Publicado em: 21/03/2013 ás 16:00.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Nota Oficial - Parceria Firmada

Página Pensar de novo - facebook.com/pensardenovo
Informo que aceitei, dias atrás, uma parceria com a página "Pense de novo", do facebook, sendo que, a partir do presente momento, estarei publicando corriqueiramente textos de opinião para a análise popular. 
A página "Pense de novo" tem por base levar seus seguidores ao pensar crítico da realidade social, ambiental e cultural em que estamos inseridos, não impondo ideais e ideologias meramente firmadas, mas sim, expondo opiniões e fatos que permitam a reflexão salutar dos fenômenos em nossa sociedade.
Agradeço a página, por abrir esta janela de reflexões. Agradeço a todos aqueles que esperam um Brasil ainda melhor.
Desta forma, peço aos amigos que sigam a página, situada no endereço: www.facebook.com/pensedenovo, para que possam acompanhar em primeira mão os conteúdos reflexivos que lá serão publicados.

*O blog, no entanto, não ficará esquecido, sendo também contemplado com os pensamentos publicados na página.

Romes Sousa

segunda-feira, 18 de março de 2013

Lixão dos Talentos: Superdotação e Reformas Educacionais


-- Postagem do mesmo autor publicada no blog "Gênios Mirins" --

Muito se escreve e muito se lê a cerca do desastre que está a educação pública brasileira. O objetivo desta postagem não é desvirtuar esta ideia, mas sim raciocinar a partir do seguinte dado: estimasse que cerca de 2 milhões de brasileirinhos sejam superdotados. Uma enormidade de crianças estudam em escola pública. Uma enormidade de escolas públicas não oferecem amparo adequado a qualquer desenvolvimento intelectual da criança. E aí, onde fica a superdotação?

Por onde caminha a educação dos superdotados?

Muitas crianças e jovens têm tendência, devido a fatores externos (biológicos) a desenvolverem a superdotação. Porém, de nada adianta a genética se não tivermos a prática. Apenas em contos de fadas vemos crianças que ontem estavam abaixo da espectativa para sua idade se tornarem, do dia para a noite,"pequenos gênios". 
O que estamos vendo é um genocídio da superdotação brasileira. O número de dois milhões não compraz uma realidade. Muitos jovens estão sem ter chances de estudar, de conhecer o mundo e por isso, enterrando seus talentos. A superdotação, antes de tudo é formada a partir de uma percepção, de um estímulo, que, futuramente, gerará o projeto de superdotação. Não estamos dando base para o desenvolvimento dos alto-habilidosos no Brasil.
E a que se deve esta façanha? Aos ciclos viciosos tão presentes em nossa sociedade. Geralmente, a escola nada ensina, tendo em vista que a maioria dos professores de escola pública não se importam com o que seus tutelados realmente aprendem, a família não educa, visto que são pais que também careceram de bagagem anterior, a criança, ao chegar na adolescência, muitas vezes se perde neste nosso mundanismo exarcebado e sujo e lá se foi um possível superdotado.
Precisamos repensar a educação que damos aos alto-habilidosos e as crianças em geral. Dizem que o futuro da nação são os jovens, então qual é o futuro que estamos dando a nação?! Dizem que a educação é a solução dos problemas nacionais, então qual é o amparo que damos aos problemas?! Atualmente, muito se fiz, mas pouco se faz. É preciso fazer mais e dizer menos.
A habilidade nata em muitas crianças se transforma em desastres sociais. A genética da superdotação não determina inteligência intelectual puramente desta forma, mas determina sim, percepção maior sobre os fatos, raciocínio e criatividade mais apurada, entre outros. Se não educarmos a percepção, o raciocínio e a criatividade, poderão estes muito facilmente acabarem por levar a sociedade ao caos. O jovem trabalhará a superdotação com as ferramentas que estiver em mãos. Estamos dando promiscuidade. A criatividade se desenvolve na promiscuidade. Estamos dando lixo. O raciocínio se desenvolve no lixo. Já desvirtuamos diversos superdotados ao longo da história. Será que estamos a procurar um novo Hitler?

Abordagem da Teoria das Reformas Educacionais

Infelizmente, as tão defendidas reformas educacionais não podem se proceder de uma hora para a outra. Fugindo do discurso quase que comunentemente real de que quem tem dinheiro tem medo de criar cidadãos de verdade, notamos que o Brasil por muito tempo investiu em produtos pouco lucrativos a nossa nação. Saímos de uma etapa de exploração de cana de açúcar, passamos pelo ouro, pelo café, mas nunca os investimentos foram destinados a educação qualitária.
Todos os governantes se vangloriam em lotar bibliotecas em escolas públicas. Dinheiro em vão. Os livros que lá estão raramente são usados. Não ensinamos nossos alunos a aprender. Ensinamos nossos alunos a vomitar. Vomitar fórmulas, vomitar conceitos. Não despertamos a razão em nossos alunos, despertamos a rebelião de quem se vê preso a um sistema e, embora tente dele fugir, está amarrado por ferrenhas correntes. Estas correntes são a ignorância. E como rompemos as correntes? Educação. Ensinamentos verdadeiros. Despertar de curiosidade. Apenas isso pode solucionar a educação no Brasil.
Antes de cobrarmos dos professores, devemos doutrinar os pais. Eles são os verdadeiros educadores. Eles são os responsáveis pela socialização primária. Se se educa em casa, a percepção se modifica e até mesmo em um barraco em ruínas, o aprender é possível, pois lá existe vontade.
Está na hora de transformar os discursos em prática. Já é tempo de olharmos a educação com olhos de pais. Pais verdadeiramente brasileiros, que esperam ver no amanhã filhos grandiosos que os orgulhem. O Brasil não é lixo. Nossa educação não é lixo. Deixemos as mesmisses de lado. Vivamos o novo!

Romes Sousa

domingo, 10 de março de 2013

Pastor Marco Feliciano: O que são os direitos humanos?

Pastor e deputado federal pelo PSC Marco Feliciano
Um polêmico assunto tem circulado fortemente pela internet atualmente. O pastor evangélico e deputado federal pelo PSC, Sr. Marco Feliciano, acusado de crimes de homofobia, descriminação racial e religiosa, foi eleito, sob portas fechadas e intensos protestos, presidente da Comissão de Direitos Humanos. 
Considerando normal a ideia de que um lider religioso assuma a Comissão, advertimos que os protestos acusam crimes graves contra os direitos de expressão, conforme trateremos a seguir.
No ano de 2011, o deputado postou diversas vezes insultos contrários a cultura afro e aos movimentos homossexuais em sua página do twitter.  O político usufrui de seu conhecimento cristão para justificar suas bárbaras twittadas.

Acompanhemos alguns trechos a seguir:

"Sobre o continente africano repousa a maldição do paganismo, ocultismo, misérias, doenças oriundas de lá: ebola, Aids, fome... Etc"

"A podridão dos sentimentos dos homoafetivos leva ao ódio, ao crime e à rejeição".

Analisando o primeiro trecho, vemos que o desconhecimento da cultura brasileira é, ao ver de qualquer cidadão meramente convicto de seus direitos e, entre estes enquadramos sacerdotes religiosos, algo inadimissível. Não pode uma pessoa presidir uma Comissão de Direitos Humanos sem que para isso tenha o mínimo de conhecimento histórico sobre a formação da cultura brasileira. Talvez o leitor esteja se perguntando: por que o autor deste post fala sobre desconhecimento de cultura? Porque esta é a única justificativa que o cidadão em questão pode postular para se livrar da acusação de crimes que infringem os direitos humanos.
Sobre o segundo trecho notamos que a homofobia é, quase sem oportunidade de questionar, o maior problema relacionado aos direitos humanos que o Brasil enfrenta atualmente. A barbárie urbana vem emergindo de uma população mal educada para lidar com a diferença. Se a má educação populacional atinge a Comissão dos Direitos Humanos não sabemos mais o que esperar do Brasil. Se o presidente da CDH é homofóbico, como pode ele repudiar comportamentos semelhantes?! Diríamos ainda mais: como pode um fiel cristão que prega o amor ao próximo preconizar o seu próprio povo?!
Em outro trecho que tem circulado pela internet, Marco Feliciano diz que trata os negros e homossexuais como pessoas normais. Vejamos só: ele os trata como pessoas normais. Ora, então para ele os negros e homossexuais não são pessoas normais? Tomando o trecho acima como apenas um equívoco na colocação da frase, notamos que mesmo assim se fazendo, o pregador segue sob graves denúncias. Denúncias estas que comprometem qualquer cidadão. Denúncias estas que comprometem muito mais uma liderança nacional.
Atualmente, temos notado que ao acessar a página do twitter do referido pastor notamos o compartilhamento de diversos avantes de fiéis evangélicos em posição de apoio ao político como quem apoia uma equipe de guerra em uma batalha. Notamos aí a imaturidade do eleito presidente. Teoricamente, ele, na posição de lider de uma comissão tão importante, não deveria ligar para pucuinhas postuladas por pessoas que o criticam, mas não é isso que acontece. O senhor em questão não só se importa com as críticas, como também as corresponde publicamente.

Observemos algumas declarações compartilhadas por Marco no twitter:

O Espírito Santo te fortalece. Bloqueia essa gente que invade a tua página! Gente que não entende o seu chamado.

perdeu a oportunidade de ficar calada hein, o pastor te defende e vc o acusa? vc está doida? perdeu a moral.
 
O que esta acontecendo com ? Virou progressista? Ou desconta sua mágoa ao governo? Ser contra não se explica. 
 
Postagem de um pastor
, Quem diria q Marina Silva representante do povo envangélico teria essa reação estava correto
 
Postagem do autor (Marco Feliciano)
Marina Silva questiona a nomeação de Feliciano e Rubens Teixeira rebate   

 
Texto extraído em: 10/03/2013, 21:12 (Brasília);
 
Vemos mais uma vez o quão despreparado está o pastor para exercer sua função. O que assusta é o fato de o pastor se vangloriar, no compartilhamento de uma postagem, da resposta de Rubens Teixeira, um apoiante seu, a Marina Silva. Os autores das twittadas anteriores simplesmente criticam aqueles que rejeitaram o pastor. Vejamos que o terceiro e o quarto faz imponderadas críticas a Marina Silva, que, pelo andar da carroagem do pensamento popular, deveria, simplesmente pelo fato de ser evangélica, apoiar o "pastor", esquecendo que antes de fiel de religião alguma, é uma cidadã e deve se portar como tal.
Agora simplesmente nós nos perguntamos: onde nossa sociedade está indo? Será que não nos igualamos aos regimes ditadores, no qual os defensores do socialismo estão a ditar compulsivamente as leis nacionais? A única diferença é que no Brasil o "defensor" dos direitos humanos se assumi homofóbio e intolerante num piscar de olhos. Será que assistiremos uma guerra ideológica numa comissão que deveria defender o contrário? Será que a intolerância religiosa está a se alastrar pelo Brasil? Onde fica o discurso do país livre? Onde fica o discurso do estado laico, da opção sexual individual? Quem defende este discurso? A resposta é fácil: os militantes, tendo em vista que os poderosos parecem defender cada vez mais bandeiras contrárias ao que se considera ético, correto e  sobretudo, cristão. 
 
Romes Sousa