sábado, 19 de maio de 2012

A filosofia dos sanguessugas: Como mudar?

Sanguessuga, anelídeo, da classe Hirudinea, hematófago, da ordem snathobdellida. Num princípio biossocial completamente esquisito, sanguessugas povoam e continuam povoando a sociedade humana, estão por todos os lugares, especialmente nas periferias, formados em escola!
Quando digo sanguessuga nesta postagem, faço analogia com todos aqueles que não pensam, que copiam pensamentos. Para melhor dizer, falo dos milhões de cidadãos brasileiros que não conseguem desenvolver uma crítica própria e saudável em princípios intelectuais sobre o que o cerca. Pelo contrário, "sugam" ideais, filosofias de vida, comportamentos de figuras participantes na vida social.
Normalmente, os sanguessugas levam muito ao pé da letra a ideia de que o homem é produto da sociedade. São extremamente "manipuláveis", dentro de uma perspectiva padrão de entendimento humano. São objetos.
A formação de uma população humana de sanguessugas começa nos colégios, em especial, aqueles financiados pelo governo, no qual, não há interesse em se desenvolver o pensamento, mas, pelo contrário, o interesse é exclusivo em seguir formando cada vez mais "psicofagos" que de nada formulam ideias, mas sim, as copiam.
Existem profissionais de educação fraquíssimos na criação de ideias pois foram também criados para ser sanguessuga. A ideologia desta subespécie humana é basicamente a seguinte: Ir para o colégio, concluir o ensino médio, arrumar um emprego qualquer, quem sabe ser atendente de supermercado, porteiro, lixeiro, ou qualquer outro cargo menos favorecido no Brasil atual (com respeito a tais profissões). Esta foi a sua função primária. Logo em seguida, deve servir se, já falamos em caráter biológico, como uma microvesícula intestinal, ou seja, com papel de absorção, mas neste caso, tenderá a absorver todos os costumes pejorativos do povo brasileiro, como por exemplo, diz na maioria das vezes: "todo político é ladrão". Esta é uma frase clássica dos sanguessugas. 
O conceito de que todo político é ladrão é baseada numa ideia hiperônima (generalizada), que é produto dos acontecimentos sociais que nos cercam. Exemplo: é comum noticiar quase que todo dia na televisão a abertura de um inquérito para investigar um determinado político suspeito de se envolver em algum escândalo. A partir daí, fica claro o fato de que nem todo político tem envolvimento com o delito do colega. Já observou como é comum ouvirmos a frase "todo político é corrupto"? Pois é justamente por esta repetição acentuada de ideais que caracterizo a oração acima como sendo objeto de uma sociedade que copia e não faz. 
Pelo desfalque intelectual em alguns, a capacidade de criticar seriamente fica reduzida, o que aumenta a facilidade de imitar as ideias de outros. E acontece algo pior: muitas vezes o sanguessuga pensa que aquela ideia já tão "batida" num contexto social é sua, se ilude com a própria desgraça. É comum!
Na adolescência os jovens costumam desenvolver a capacidade de criticar o que está a sua volta. Esta crítica é, na grande maioria das vezes, fraca, visto que não tem um fundamento eficaz, porém, este debate com o que o cerca é importantíssimo pois pode resultar num cidadão mais atento e reflexivo.
Nós estamos em um país com ideias pobres ao ponto de vista internacional, temos pensamentos medíocres, temos grandes problemas. Como já disse acima, a escola é uma das principais ferramentas para a construção de sanguessugas ambulantes. Precisamos mudar isso!
Nossos jovens precisam pensar positivamente, precisam refletir e acredite, um dos principais motivos pelo qual escrevo este blog é justamente, criar pensadores, mesmo que você discorde do que escrevo terá de admitir que conseguiu raciocinar o suficiente para ser contrário ao post que leu. Pensar criticamente é aplicar a nossa mente a ideia positivista de Comte, ou seja, dar uma interpretação "científica" a realidade. Não falo científica no intuito de querer fazer você mudar alguma crença, algo que concorde, mas quero que observe algo na televisão ou aonde for, e pense por si próprio, não espere alguém chegar em você e dizer: "Viu aquela notícia? Nossa, como esses drogados mereciam morrer". Reflita. Num sistema sanguessuga sempre existirá o propagador de ideias e os copiadores. Mais uma vez alerto: não falo que é errado pertencer a algum grupo filosófico que pense de uma forma, cada um tem liberdade de escolher, mas crie o hábito de olhar o seu redor e dizer: "isto é certo por estes motivos ou isto é errado por tais motivos". Pense no que possa contrariar suas ideias e reflita se sua opinião é a correta.
Se não precisava de ler o parágrafo acima, fico feliz. Se precisava, fico mais feliz ainda pois ajudei a alertar alguém. 

Romes Sousa

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Parapsicologia: Inexistência do sobrenatural e filosofia da incompreensão

Sejam as ciências naturais frutos da própria observação da natureza, há de se concordar que tais conhecimentos estão sempre em constante evolução.
Ciência não é uma coisa fechada, um enquadramento de fatos, imposições e delegações, é, por outro lado, a filosofia do entendimento do mundo. Conforme novas pesquisas vão surgindo, fica evidente o fato de estar o conhecimento sempre evoluindo na compreensão da natureza.
Tudo o que conhecemos, e tudo o que não conhecemos é produto participante e irretocável da natureza, seja esta modificada ou não. Embora muitos pensem desta maneira, natural não é somente algo relacionado ao meio ambiente, á princípios biológicos, natural é muito mais do que isso, é todo o meio, todo o conhecer e, como já disse, até mesmo o não conhecer do homem.
Conforme se aprofunda no conhecimento do meio que o cerca, tende o homem a melhor compreender as leis naturais e suas aplicações. Foi assim durante toda a história, porém, quando aprofundamos em conhecimentos de uma ciência específica, notamos que muitas leis se aplicam em um caso, mas não se aplicam em outros. Exemplos clássicos são algumas leis da Mecânica Clássica que de nada servem para o mundo quântico.
Onde quero chegar com tais reflexões? Com as conclusões pessoais de que a ciência é um complexo ainda muito aberto. A natureza é incompreendida! A natureza é tudo o que nos cerca, natural ou artificial! Desta forma, conclui-se ser impossível a existência de algo sobrenatural ou paranormal. Não existe, por então uma sobre natureza, uma para natureza, algo que vá além da natureza. Seja o que for, qualquer que seja o fenômeno, por mais estranho que pareça, deve, por raciocínio próprio, pertencer a natureza.
Embora já conhecemos muitas leis naturais, é evidente existir um campo em aberto. Deste modo, embora existam fenômenos que fugam a compreensão das ciências naturais, visto que não se enquadram em suas leis, nada possibilita a afirmação: tal acontecimento é falso. Não cabe a nenhum cientista dizer isso.
O que existe não é o sobrenatural, uma natureza "estranha", mas sim, leis naturais incompreendidas. Esta é a verdade. Afirmações certas atualmente serão mito daqui alguns anos. A teoria do flogístico por exemplo, foi ativa por muito tempo como lei científica e só caiu com Lavoisier.
O que ocorre atualmente é que a ciência tem muito medo de evoluir, tem medo de se despregar do sustento! Já disse isso em outros posts: a Física se apoia a Newton, para os conservadores, tudo se resume em teoria newtoniana. Basta pensar para deduzir que nem tudo foi desvendado por Newton. Existem coisas que apenas com a marcha contínua da ciência conseguiremos saber.
Na parapsicologia trabalhamos com os fenômenos de PK (Psi-Kappa), ou PC (Psicocinesia), também conhecido com outros nomes, mas que interferem a interferência da mente sobre a matéria. Hoje, para a ciência moderna, isso é impossível. Ou seja, foge da natureza conhecida, foge das leis que conhecemos. Como diria Shakespeare, "Há mais mistérios entre o céu e a terra do que nossa vã filosofia pode imaginar".
Não afirmo que existem fenômenos anômalos, (visto que prefiro mil vezes utilizar este termo para tratar de Parapsicologia do que denominar algo de "paranormal"), não sei, talvez existam. Não crio teorias pré-concebidas sobre nada, a minha Parapsicologia é científica e evolui com a ciência. O que deixo claro é: A ciência é a luz que desmascara os mistérios do conhecimento humano. Conhecer a natureza é encantador, seja por qual ciência for, o difícil é fazer o que fez Sócrates, reconhecer, embora a nossa vaidade não permita, que nada sabemos e estamos longe de conhecer até mesmo o que nos envolve.

Fica o recado, conclusões, que cada um tire as suas. Pense, reflita, inove! Afinal, o erro é ferramenta do acerto!

Romes Sousa

domingo, 13 de maio de 2012

A triste história de uma brasileira de verdade

A história que contarei é real, no entanto, emitirei os nomes dos envolvidos. 
Hoje ouvia a conversa e um dos envolvidos relatou a história de uma colega de trabalho. Era uma professora de educação infantil. Uma educadora experiente, graduada em Pedagogia, pós graduada em Psicopedagogia e uma das coordenadoras de uma escola pública em Goiânia, Goiás.
Segundo relatos, uma das maiores esperanças desta professora era, como não poderia deixar de ser, de criar um país melhor, um pais diferente, onde já não mais prosperasse os rumos que tomamos atualmente. 
Ao passar em um concurso para lecionar pela prefeitura de Goiânia, a protagonista logo assumiu a coordenação, mantendo o mesmo sonho. Logo em seguida se deparou com uma realidade completamente contrária aos seus ideais.
Eram profissionais desinteressados. Sim, não parece novo encontrar maus profissionais em diversas áreas, e agora, novamente, na educação. Neste colégio, como em muitos outros, eram poucos que trabalhavam e muitos que enrolavam. 
A sonhadora acabou por ser contaminada. Seus sonhos logo se perderam, conseguiram... Mórbidos lixos da educação, mais uma esperança jogada ao vento. A coordenadora, já desanimada com a realidade que se encontrava decidiu abandonar o cargo. Preferiu uma sala de aula.
Os relatos são ainda mais vergonhosos. São professores que não vão para a sala no horário, não cumprem a função a que formaram. Não lecionam. Nada fazem, ou melhor, me engano: Pedem resumos de capítulos, nada explicam. Pegam um conteúdo e dizem: Tirem xerox e para cada aluno que assim fizer, darei 3,0 na prova. Ou então passam 20 questões, 10 cairão na avaliação. 
"Professor não é "dador" de aulas, é educador", assim diz um mestre que tenho. Um professor de verdade não é aquele que simplesmente fala, fala e fala, mas sim que modifica em alguma coisa o meio em que vive, um profissional que cria ideias, cria futuros.
Sem professor não temos doutores, engenheiros, odontólogos, psicólogos ou qualquer outra profissão. Sem professor não temos cidadãos. 
Desde o início da humanidade nota-se a organização da passagem de ensinos. Um  ensina para o outro, o outro ensina para o próximo e assim por diante. É uma corrente de reflexão, uma corrente de bons modos, uma corrente de informação.
Rejeito a ideia de que o professor deveria ser o profissional mais bem remunerado, se assim fosse teríamos muito mais fracassos na educação. De 100 profissionais 5 prestariam e o porque? Pelo simples fato de que tudo em nosso mundo está intimamente ligado no dinheiro. É ele que importa. O professor deve lecionar por vocação, por missão. por vontade de mudar a sociedade. Este deve ser seu papel. Aceito sim o fato de que o educador deveria ter pelo menos uma remuneração mensal de R$ 4.000,00. 

Pense... reflita... Logo voltaremos a essa discussão.

Romes Sousa

terça-feira, 1 de maio de 2012

Superdotação: Comportamento

Em diversas postagens anteriores venho tratando de um tema instigante e relevante, a superdotação. Hoje retomo o debate falando do comportamento desempenhado por estes jovens considerados superdotados. 
Como já havia dito, deve-se cortar a antiga ideia de que superdotados são gênios que de tudo sabem. Pelo contrário, superdotadas são as crianças que apresentam habilidades especiais para uma determinada área.
A sociedade em geral tem mania de mascarar o que é estranho, criar métodos baseados em sintomas e comportamentos para definir as diferenças. Com os superdotados não é diferente. Muitos dizem: superdotados são isolados, não possuem comportamentos sociais... Mas será que é verdade?
Da mesma forma com que cada ser humano é único em personalidade, com os superdotados não é diferente. O comportamento destes varia, é obvio, com a personalidade e com os fatores sociais que o cerca. Esta personalidade a que tanto me refiro é fator primário para a criação de gostos e perspectivas que resultarão no estágio de evolução comportamental do indivíduo.
O comportamento do superdotado é baseado em diretrizes como "devo ser notado", "devo esperar que os outros me notem e concluam o meu potencial", "todos devem me notar, estou aqui para isso", entre outros.
Quando se baseia no comportamento "devo ser notado", levo todos a reflexão de que esta criança busca métodos comuns, sem se basear na graça ou violência para ser notado. Busca aparecer, embora não saiba muito bem como fará isso, quer ser notado pois é diferente.
Já quando se fala do comportamento "devo esperar que os outros me notem e concluam meu potencial", o superdotado, da mesma forma do primeiro caso, busca evidenciar sua diferença, mas não se sociabiliza, deixa que os note por ser diferente, é isolado, sem contato social. Na grande maioria das vezes, carrega um mundo muito encantador de ideias e expectativas prontas para ser jogadas ao mundo, mas a sociedade não lhe permite tal, por isso se isola. Estes são extremamente inteligentes, possuem, na grande maioria das vezes, filosofia de vida própria, inerente a da família, tem tendência a criar inúmeros fatores de análise social, nem todos servem como amigo, mas todos conseguem um superficial contato. Como disse, superficial, visto que é isolado, mas não é bobo, sabe se mostrar nos momentos necessários. Se expõe em alguns momentos e rejeita, na grande maioria das vezes, alguns comportamentos sociais, pois estes, aos seus olhos são considerados absurdos. São socialmente "estranhos" e concluo dizendo a este grupo que são célebres, se conseguíssemos aproveitar a inteligência que lhes é pertencente poderíamos já ter avançado em inúmeros campos.
Já o terceiro grupo a que aqui me referi, "todos devem me notar, estou aqui para isso", pode ser carregado por todas aquelas crianças com inteligência fora do comum mas que utilizam fatores sociais para se mostrar. Alguns são exímios comediantes, vivem fazendo graça, querem ser vistos, outros são violentos, agem agressivamente com colegas pelo mesmo motivo, querem ser notados. São excelentes alunos, mas com comportamentos abusivos, o seu interior grita: "Eu quero ser visto, aproveitem os meus talentos".
Na verdade é isso o que todos, ou a maioria dos superdotados desejam, ser aproveitados, cabe a nós analisar a melhor maneira para tal.
Considere que estes grupos a que apresentei não são fechados, existem outros, inúmeros, quem me dera poder classificar todos os comportamentos de um grupo social, principalmente dos superdotados!
Fica a mensagem: cada criança com dons especiais tende a desenvolver um comportamento modelado por diversos fatores. O modo de agir é característica da personalidade, cabe a todos saber modelar o íntimo do indivíduo para que o nosso futuro prospere com grandes no comando. Esta é a nova geração! O futuro é relativo, meu caro!

Romes Sousa