quinta-feira, 8 de março de 2012

Reflexões sobre o "ser artista"

Muito se fala atualmente em "ser artista", viver de tal arte, conseguir se sustentar a partir do talento próprio.
Porém, seria este talento um dom natural ou uma infâmia social?
Logo entenderemos porque citei a expressão "infâmia social". Focaremos, inicialmente, no sentido e na representação do artista atual. 
A arte surgiu nos primórdios da humanidade, sendo caracterizada por um bom tempo como a representação do belo, no entanto, evoluiu ao patamar de chegar ao estado atual de representar de alheias formas da realidade, sendo ponte de interlocução entre o mundo íntimo e psíquico do artista e o mundo físico real.
Partindo deste aspecto, o artista é todo aquele que faz de alguma forma, uma arte, ou seja, uma recriação significativa da realidade. Sendo assim, o artista teria o papel de estar levando sentimentos e emoções a sociedade de forma geral.
Mas é realmente esta sociedade, alucinada e sem valor próprio que levará o artista ao status de infâmia social. A glorificação pública a um determinado artista o leva, mesmo que inconscientemente a adotar para si um estado de conforto e superioridade quanto aquela mesma sociedade que o promoveu.
O artista endeusado se coloca em posição superior por pensar que tudo está circulando a seu redor e que seus fãs o sustentam, mesmo nos piores momentos. É um estado persistente que, é comum quando se avalia a sociedade capitalista em que vivemos.
A partir do instante em que o artista se eleva e usa da sua arte para se sobrepor aos outros demonstra duas qualidades (se assim podemos chamar): hipocrisia e falta de amor pela profissão.
Porque hipocrisia?
Hipocrisia pelo fato de que o artista se coloca em um estado soberbo tão grande que acaba por esquecer do sentido da arte. A arte foi criada como forma de expressão humana e não como forma de sobreposição. É o capitalismo artístico.
Falta de amor pela profissão por motivo muito parecido com a hipocrisia: não respeita o que faz, não respeita a arte e seu sentido original. Tenta se sobrepor a arte. Creio que seja de concordância mútua que assim fazendo, o indivíduo pode deixar de ser artista.
Estes são os motivos principais que levam algum artista a fazer parte da infâmia social, se fechando para a realidade física, prendendo-se ao mundo dos elogios e sendo sustentado pelos fãs.
E depois você para pra pensar: quantos querem ser artista? Porque querem ser artista? Seria por amor a arte ou pelos benefícios futuros?
A forma de organização social que predomina no Brasil centraliza o artista e centraliza a fama fazendo que esta seja alvejada por todos. Cria-se para mascarar o ser artístico a expressão talento. O que seria talento?
Talento é (ou seria) a habilidade de alguém para fazer tal coisa. Só vale lembrar que esta habilidade está nos olhos dos fãs (talvez seja por isso que os dons artísticos são de mútuas opiniões até mesmo em centros de críticas artísticas), que como já dito em posts anteriores, se faz de obsediado e louco por tal artista diminuindo consequentemente o amor próprio.
Toda nossa sociedade vive num campo magnético que impulsiona as pessoas para aquilo que gera lucro e benefícios futuros. Isso é um estado de alienação social grave. É por este motivo que muitos querem ser artista. Estes pensam na fama e na glorificação. É querer estar no lugar que tanto deseja, no centro social.
Paramos para pensar: onde se iniciou este ciclo? Na sociedade que influenciou o desenvolvimento do artista e que pelo princípio da ação e reação que, por incrível que pareça surge num discurso social, sofre as consequências do apoio maciço a que designou seu tempo, sendo suporte para o mundo de fantasias que cerca o profissional artista.

Conclusão:

A sociedade eleva o artista e esta mesma sofre as consequências da desigualdade que surge posteriormente.

Romes Sousa


2 comentários:

Devorando Livros disse...

Oi Romes, é o João, nossa o seu blog tem artigos maravilhosos , agora sempre que posso estou lendo ele, continue assim.

Romes Bittencourt Sousa disse...

Obrigado, João! Estarei publicando novos artigos a fim que possa ler!

Até Mais!

Romes