segunda-feira, 4 de julho de 2011

Diminuição de presos, diminuição de punição

Hoje, 04/07/11 estava assistindo o Jornal Hoje da TV Globo e vi uma notícia de uma lei que só beneficia nossos queridíssimos governantes (além de alguns criminosos). É o seguinte, presos acusados de corrupção, crime financeiro, pequenos furtos ou crimes não ediondos poderão sair da cadeia com pagamento de fiança, respondendo assim, seus crimes em liberdade, na maioria das vezes eles não são condenados. Mas, a lei só beneficia os criminosos ricos, desde quando um ladrãozinho de carteira vai conseguir pagar uma fiança de 54.000 reais? Para crimes políticos, a fiança pode chegar a mais de 100 milhões de reais, eu disse pode.
Não adianta tirar criminosos e desocupar as cadeias. As ruas estarão cada vez mais violentas e os criminosos ricos, muitas vezes donos de grandes empresas, pegaram empréstimos com o governo em nome de suas firmas, pagando assim sua fiança, logo depois pagarão propina a alguns juízes corruptos, que o absorverão. É assim que funciona, e o pior, a propina vem do nosso dinheiro, é dinheiro público. Veja, a população brasileira atual é de 190 milhões, se cada um dá R$ 10,00 por mês, a faturação mensal é de 1 bilhão e 900 milhões de reais, mas, o fato é que as pessoas não pagam só dez reais de impostos por mês. Considerando cerca de R$ 10 bilhões de reais mensais já dá para por em prática muitas coisas, mas parte desse dinheiro é desviado. Isso é normal no Brasil. O futuro político corrupto nasce numa família pobre, na maioria das vezes. Ele vai para a escola pública, que não o oferece ensino de qualidade, chegando lá ele aprende por intuição que é melhor jogar sujo para se dar bem na vida, ele vê também que não há necessidade de estudo, ele vai passar de ano de qualquer forma. Chega na idade de prestar vestibular, alguns não prestarão a prova, já com pensamento malicioso, ele vai fazer algo que agrade a sociedade e com isso, ganha confiança da mesma. Depois de uns... dois anos agradando o povo (o que não é difícil, o mesmo ciclo da escola pública citado acima também acontece com esses) o futuro político se candidata, talvez até sem intensão ruim, mas, ele não teve educação de qualidade, é fácil formar opinião em cima dele, o futuro virou real, ele ganha as eleições, primeiramente para um cargo inferior, ganhar as eleições para vereador, por exemplo, numa cidade de 5 mil habitantes não é difícil.  Com o passar do tempo, ele continua ganhando eleições, vai ficando mais rico, começa a se candidatar a outros cargos, prefeito, deputado estadual, vai ganhando confiança e ganhando dinheiro. Talvez pode chegar um raro momento que ele é preso, mas, ele já é dono de alguma empresa, já é empresário, com ajuda da empresa ele pega um empréstimo com o governo estadual ou federal, paga a fiança que impõe essa nova lei. Está livre. Pode voltar a cometer seus crimes. Não tem problema isso. Depois ele manipula o pessoal do tribunal de justiça afim de que consiga um juiz corrupto, paga um dinheirinho (nosso) para o juiz, ok, está livre finalmente. Parabéns cidadão, aquele cara legal que você votou agora rouba o seu dinheiro e, como um coronelismo moderno, quem se meter com ele ganhará uma vaguinha no cemitério. A base de tudo é educação, será que os EUA e o Japão não tem corrupção? É lógico que tem! Mas é uma corrupção escondida, primeiramente eles investem no país em tudo o que é necessário, o que sobrar, eles dividem. Mas, nosso país é Brasil. Nós somos brasileiros, e queremos assim. É preciso que uma emissora de televisão incentive a rebelião para o povo pensar em lutar pelos seus direitos que estão num livrinho denominando constituição. Os brasileiros são estranhos (não todos). Na copa eles quase morrem pelo Brasil, mas é futebol! Estados Unidos, Japão, França, Alemanha, Inglaterra são muito mais evoluídos do que o Brasil eles não se ligam no futebol, eles querem é ver seu país como uma das maiores economias do mundo. Será porque as grandes potências futebolísticas são países pobres? Mas, cada um se contenta com o que pode e nós podemos assistir jogo de futebol, depois ouvir um funk com muitos palavrões, assistir TV e ficar admirando nossas barbáries. Ai depois, antes da novela você vai sentar no meio fio para conversar com seu vizinho, beber uma cerveja, fumar um cigarro nojento e, a cada dez palavras que você falar, sete serão palavrões, tudo começou na escola.